Crítica – O Bom Gigante Amigo

 

O Bom Gigante amigo

O Bom Gigante Amigo (Big Friendly Giant), é a adaptação do livro infantil do escritor Roald Dahl, também criador das obras A Fantástica Fábrica de Chocolate, Matilda, James e o Pêssego Gigante, entre outras.
O Bom Gigante Amigo já teve uma adaptação em Cartoon lançado em 1989 (Elfy, O Duende Que Caiu do Céu). Agora, produzido em uma versão live-action pelos estúdios Amblin Entertainment, Walt Disney Pictures, Walden Media.

O filme conta a história de uma menininha orfã que vive na cidade de Londres, chamada Sofia (Ruby Barnhill), é uma menina muito esperta. Convicta que as 3 da amanhã apareceria o bicho papão. Em uma noite enquanto todos estão dormindo aparece um gigante andando pela rua, ela fica surpresa e com medo, corre para sua cama e se esconde debaixo de seu cobertor, por mais que ela tente se esconder em sua cama, o gigante a pega.

Sofia fica apavorada enquanto o gigante a leva para a Terra dos Gigantes. Assim que chegam, a garotinha tenta fugir, mas ele diz que ela não poderia fugir pois já o viu e poderia contar a todos que os gigantes existem. O gigante, chamado de Gigante Bom Amigo (Mark Rylance), morre de medo dos outros 9 gigantes com quem convive (cujos são dez vezes maior que ele), quais tem nomes como “FazMaldade”, os 9 gigantes saem a noite, para comer crianças abandonadas. Enquanto o Gigante Amigo, vai para a cidade garantir que as crianças tenham bons sonhos.

Como os dois são muito solitários, começa a surgir uma grande conexão entre os dois, fazendo com que se tornem próximos. O Gigante Amigo tem receio de contar seu segredo, com medo da pequena orfã sair pelos 4 cantos do mundo contando a todos, só que ele esquece do detalhe de que ela está presa com ele e não teria a quem contar. Mas durante toda essa jornada, o gigante “FazMaldade” que é quem comanda os outros 8 gigantes, descobre que há uma “humanomens” (modo com que os gigantes chamam os humanos, pelo falto de não terem conhecimento). FazMaldade espera o Gigante Amigo chegar, para poder capturar a garotinha orfã, momento onde os gigantes atacam o lar do bondoso gigante, em busca de Sofia.

Enquanto Sofia está escondida no tronco de uma árvore, dentro da casa de seu novo amigo, consegue pensar em um plano. Quando ele consegue expulsar o FazMaldade e os outros gigantes, Sofia conta seu plano, que seria fazer um sonho para a Rainha da Inglaterra (Penelope Wilton), mostrando para ela que os gigantes existem e são maus, e então quando acordasse, os dois estariam na janela dela para que ela acreditasse que tudo o que sonhou é real, e que os gigantes estão por ai comendo criancinhas e então pedir sua ajuda.

A Rainha imediatamente faz alguns telefonemas, enquanto apronta a pequena Sofia e o Gigante e os servem com uma grande refeição. Logo após, partem para a Terra dos Gigantes, onde todos os gigantes exceto o amigo de Sofia, que é legal e bondoso, são capturados e jogados em uma ilha rodeada de água que é o maior medo dos gigantes malvados, fazendo com que eles fiquem presos. Após os gigantes serem capturados, Sofia é adotada pela Mary (Rebecca Hall), assistente da Rainha da Inglaterra e o seu mais novo amigo, o Bom Gigante começa a cultivas novas sementes em seu lar, criando uma nova horta dos mais variados vegetais, e como o Bom Gigante consegue escutar até mesmo os sussurros mais baixos, escuta a Sofia todos os dias, dando-o bom dia, boa noite e boa tarde.
O filme, que pode ser assistido em 3D é muito envolvente, não há muita coisa que poderia se mudar. O filme mexe bastante com a emoção de quem assiste, além de ser engraçado e mágico. Os efeitos especiais são ótimos, como uma ótima transição de cena. Um filme onde você vai rir e chorar.

Confira o trailer oficial:

Direção de: Steven Spielberg
Gênero: Ação, Fantasia, Aventura
Jornalista: Thallysson Lins Tenorio

COMENTÁRIOS